quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

...silêncio




Tortuosos os momentos em que não o vejo
E a angústia de esperar por um momento
Que nem sei ao certo se um dia chegará
Hoje é somente agonia e desespero

Quisera estar prostrada em teus braços
Destilando versos de um poeta qualquer
Pudera adormecer em teu colo...
Sentindo tuas mãos a me acariciar

Teu toque delineando as curvas dos meus lábios
Mas é o vento que me faz suspirar
Procuro e o desespero se senta ao meu lado
Tua face se esconde de mim, e o pranto verte

O silêncio é quebrado pelos sussurros
Pelo doce pranto que ecoa no ar
E o momento que deveria chegar
Ainda é só silêncio...

Um comentário:

Manu Abintes disse...

Aguarde, minha Alma...
O silêncio será quebrado em grande estilo... aos gritos sussurrados nos seus lábios!
Tenho certeza disso...

Amo-te